Finasterida : Quais são os efeitos colaterais?

Blog, Dúvidas Frequentes

nfelizmente nem tudo o que a mídia publica pode ser considerado fonte segura de informações.
Há interesses diversos por trás disto como campanhas de medicamentos concorrentes e grupos de advogados atrás de ações coletivas e milionárias contra a indústria farmacêutica, principalmente nos Estados unidos.

Sabemos que na medicina estudos para serem considerados seguros e confiáveis tem de ser feitos com metodologia adequada e isenta de interesses alheios.

Neste caso, há estudo de milhares de pacientes com mais de 10 anos de seguimento em uso da finasterida atestando segurança da mesma. Estes estudos apresentam alta confiabilidade pois são multicêntricos , com uso de grupo placebo e duplo cegos. Estes estudo mostram que a finasterida é segura para uso a longo prazo e não apresenta efeitos colaterais permanentes . Estudos em pacientes abaixo de 40 anos de idade usando a medicação mostram que efeitos colaterais como diminuição de libido e da quantidade de ejaculado ocorrem em 1,8 % dos casos apenas. Estes estudo mostram também que tais efeitos são reversíveis em até no máximo 3 meses após suspensão da medicação( a maioria resolve bem antes disto).Não há estudos mostrando a prevalência destes efeitos colateriais em pacientes maiores de 40 anos, mas como sabemos que a libido e potência sexual diminuem naturalmente com o envelhecimento, os observamos um pouco mais frequentemente nesta idade.
Os relatos de casos de que a finasterida tenha causado efeitos colaterais permanentes , são de pacientes nos quais não se excluíram a possibilidade de outras causas terem causado isto e , sabemos que são varias as causas possíveis de impotência ou esterilidade, dentre elas doenças congênitas, metabólicas e problemas psicológicos. Vale lembar que relatos de casos, principlamente publicados em redes sociais e mídia, não tem a significância estatítica de estudos prospectivos bem conduzidos, os quais como dito anteriormente não mostram efeitos colateriais permanentes pela finasterida.

Também há os que clamam que a finasterida pode causar infertilidade, o que não se comprova nos estudos prospectivos. Sabemos que há homens em idade fértil na população sadia que são inférteis desde o nascimento.O problema é que geralmente só se faz exames para fertilidade quando se tenta ter filhos por algum tempo e não consegue. Então como afastar que estes casos não eram inférteis desde sempre?
Não há uma indicação formal para que se faça um espermograma prévio ao início do tratamento. Porém, para aqueles pacientes ansiosos com esta possibilidade, vale a pena realizá-lo antes de iniciar com a medicação.

Geralmente nos casos nos quais há alteração no espermograma pela finasterida, rapidamente após a parada da medicação ocorre melhora e reversão dos parâmetros alterados do espermograma.

Quanto ao risco de má formação fetal pelo uso da medicação é conhecido que este efeito somente se dá se a mulher ingerir ou manipular a medicação e engravidar. Não há problemas de má formação fetal caso um homem em uso da finasterida engravide uma mulher.