Conceitos e Técnica Básica

O transplante capilar é uma das cirurgias estéticas que mais vem se desenvolvendo em requinte e sofisticação. Atualmente nos possibilita realizar procedimentos com resultados muito naturais e imperceptíveis.

Disponibilizamos em nossa clínica todas as técnicas de transplante capilar existentes: Transplante de unidades foliculares convencional de fios curtos, de fios longos , FUE (Extração de unidades foliculares) e a mais recente Técnica Hibrida (transplante convencional fios curtos + FUE no mesmo ato cirúrgico). Cada caso é individualmente avaliado em consulta médica, e um tratamento é proposto de acordo com o grau de calvície, qualidade e quantidade da área doadora, expectativas, qualidade de cicatrização, período de recuperação esperado, custos, entre outros (vide seção comparativo de técnicas).

O objetivo do transplante capilar é proporcionar uma aparência mais estética, refletindo numa melhora da autoestima para aqueles que sofrem com a calvície.

O carro chefe de nossa clínica são as cirurgias maiores de mega e gigasessões da técnica convencional, nas quais cerca de 2500 a 3000 unidades foliculares , ou seja 4500 a 8500 fios são implantados em uma única sessão com média de 6 horas de duração. No procedimento trabalham simultaneamente dez profissionais : 2 cirurgiões e 2 auxiliares para a implantação, 1 médico anestesista e 5 auxiliares para preparo das unidades foliculares nos microscópios. Com este procedimento dinâmico, diminuímos o tempo cirúrgico e o desconforto do paciente. Na técnica híbrida, inicialmente realizamos uma cirurgia convencional de fios curtos de mega/gigasessão e ao final das 6 horas deste procedimento, iniciamos novo procedimento desta vez com técnica FUE. Com isto a duração da cirurgia é em torno de 11 horas.

A cirurgia é realizada em nossa própria clínica.Contamos com uma sala cirúrgica equipada com equipamentos para monitorização cardiorespiratória, aparelho de anestesia e ventilador mecânico, além de toda infra-estrutura necessária para uma cirurgia deste porte. A cirurgia é realizada sob anestesia local e sedação leve. Optamos por realizar o procedimento sempre com o acompanhamento de um médico anestesiologista durante todo o procedimento para maior conforto e segurança. Eventualmente nos procedimentos de menor duração (correção de cicatrizes, transplante de sobrancelhas…) realizamos apenas com anestesia local.

Apesar se tratar de um procedimento de baixo risco, devido ao requinte e detalhamento da técnica, todo o procedimento pode ter duração em torno de 6 a 8 horas. A sedação é importante para tornar este tempo longo mais tolerável e confortável. No mesmo dia ao final da cirurgia, o paciente é liberado para casa consciente e com as orientações adequadas. Ele deve retornar à clínica na manhã seguinte para retirada da bandana de curativo.

Independente de qual técnica cirúrgica seja aplicada (transplante convencional folicular de fios curtos ou longos, FUE ou técnica híbrida) o planejamento e o design corretos são primordiais para o sucesso do procedimento e, requerem do cirurgião senso estético e sensibilidade artística.

Desenho da Linha Frontal:

O desenho dependede preferências pessoais do paciente, associado a indicação do melhor design e do que é possível tecnicamente executar. Regras básicas devem ser seguidas, mas deve-se considerar entre outras: idade do paciente, sexo, etnia , tipo de penteado e conformação facial. Desenhos de transplante mal planejados se constituem em um dos erros mais comumente observados em cirurgias com resultados estéticos ruins e artificiais.

Essa região é a mais importante no transplante capilar pois é a de maior visibilidade. O primeiro ponto que consideramos no design é o sexo do paciente.

Mulheres geralmente têm linhas mais arredondadas e sem entradas, o que é visto também em orientais. Por outro lado,os homens apresentam entradas agudas. e neles é necessário recriar as entradas levando em consideração idade e o formato de rosto.

Nos pacientes mais jovens procuramos não retirar as entradas por completo, pois devemos nos lembrar que os cabelos transplantados não mais cairão. Um resultado natural de cirurgia aos 20 anos de idade pode ficar “estranho” se o mesmo paciente aos seus 45- 50 anos não possuir entrada alguma. Portanto, um “certo grau de entradas” é natural, masculino e desejável no transplante em homens.Em homens com formato de rosto mais alongado podemos fazer desenhos de entradas mais acentuadas, enquanto que homens com formato de rosto arredondado devem ter entradas menos proeminentes.

O tipo racial também deve ser levado em consideração. Homens asiáticos têm em geral linhas frontais mais arredondadas enquanto que homens caucasianos europeus têm entradas mais proeminentes.A altura do desenho da linha frontal na testa deve ser individualizada e mostrar coerência com as regras de proporcionalidade facial.

Implantação irregular na linha Frontal:

A linha frontal natural não é reta, e portanto um transplante com linhas retas resulta em um aspecto artificial. Devemos recriar essa irregularidade fazendo uma linha de implantação “quebrada” (denteada) na linha frontal e usarmos para recriá-la unidades foliculares de 1 fio apenas. Nas linhas posteriores da linha frontal podemos usar unidades foliculares de 2 fios, de forma que iremos adquirir um degradê progressivo de aumento de densidade que simula de forma mais fiel a naturalidade.

Densidade Máxima na linha fronta:
Nesta região a densidade de implante de folículos deve ser máxima. Geralmente implantamos numa densidade acima de 40 unidades foliculares/cm2 , podendo chegar a mais que isto no caso de cabelos fino (>50 Unidades foliculares/cm2).
Conseguir esta densidade náo é tão simples , prncipalmente para equipes iniciantes em transplante capilar, na medida que requer o uso de instrumental de calibre extremamente pequeno (0,7 a 0,8 mm) para que se façam as incisões. Implantar cabelos em incisões táo pequenas e com densidade alta requer uma longa curva de apredizado e experiência do cirurgião e a habilidade de realizar tal, é o que impacta de modo mais significativo no resultado final.

Angulação e direção dos fios transplantados:

A angulação e posicionamento correto dos fios transplantados é fundamental. Um mau posicionamento pode tornar impossível se pentear os cabelos após a cirurgia ou deixá-los permanentemente com aparência de arrepiados. O ângulo de implantação nas linhas frontais deve ser preferencialmente um ângulo agudo de 15◦ mais anteriormente, aumentando para 30 a 45◦ mais posteriormente. É importante também que todos os cabelos implantados na mesma área devam ter a mesma angulação e direção.
A direção dos fios muda consoante a região da cabeça. Os cabelos da frente e de cima da cabeça em geral crescem direcionados para a frente, podendo ser um pouco para a esquerda ou para a direita. Os cabelos das laterais do couro cabeludo são orientados para baixo, podendo ser também um pouco para frente ou para trás.

Transplante do vértex ou coroa:

Somos frequentemente solicitados a transplantar esta área. O transplante aqui deve ser também meticuloso, pois é uma área de muita visibilidade. O segredo aqui é recompor a área recriando um desenho em redemoinho para simularmos de forma mais acurada a naturalidade.

Escolha da área doadora:

A área doadora corresponde à área permanente de cabelos na região da nuca (occipital) e lateral do couro cabeludo. Os cabelos dessa região são geneticamente resistentes à calvície, pois não são afetados pela DHT (dehidrotestosterona).

Por isso, quando transplantados para as áreas calvas permanecem em definitivo. Veja mais detalhes na seção específica: “Calvície masculina”.

O couro cabeludo é um tecido muito tenso, sofrendo ação de diversos músculos principalmente da cabeça e pescoço que o tracionam em direções opostas. È como se fosse uma bola revestida com uma meia. Quando se faz um corte de 1 cm de largura, pela elasticidade do tecido ao redor, este corte se abre num defeito de 2 cm ou mais. De modo similar, o mesmo ocorre no couro cabeludo. Portanto, devido a essa tensão deve-se evitar remoção de faixas largas do couro cabeludo (maiores que 1,8 cm largura), pois propiciam cicatrizes pós-operatórias largas e visíveis. Retirando-se com uma largura de no máximo 1,8cm na parte mediana posterior e no máximo com 1 cm nas laterais, e ,procedendo com a técnica de fechamento por sututra tricofítica (vide link), o defeito se fecha sem tensão e as cicatrizes em geral são bem finas, camufladas pelos próprios cabelos após a cirurgia e praticamente imperceptíveis em 6 meses. A retirada de cabelos com esses cuidados preserva a área doadora e ás vezes é possível se fazer até 3 novas futuras sessões cirúrgicas, o que é imprescindível para cobrir calvícies extensas.

Preparo da Unidades Foliculares

A faixa removida de pele e cabelos é então levada para separação nos esteremicroscópios.

O meticuloso trabalho de dissecção da faixa doadora nas unidades foliculares de 1, 2, 3 e 4 fios, é realizado por 5 auxiliares. Simultaneamente o médico cirurgião e o auxiliar iniciam a implantação com agulhas e lâminas de microcirurgia.

O uso de microscópios é imprescindível nesta fase, pois com eles conseguimos extrair uma quantidade cerca de 30% maior de cabelos do que quando a dissecção é feita com lupa ou a olho nú.

Após separadas, as unidades são colocadas em recipientes adequados conforme a quantidade de fios e mantidos sobre refrigeração em solução salina a 4ºC para conservação.

Implantação das unidades foliculares

Esta fase é extremamente meticulosa e muitas variáveis podem afetar a qualidade do transplante. Portanto, os cabelos devem ser implantados com uma angulação própria a qual varia dependendo da região da cabeça. Devem também ser implantados na mesma área com a mesma direção. Desatenção com esses cuidados podem, por exemplo, levar a uma dificuldade em se conseguir pentear os cabelos após a cirurgia.Na maioria dos pacientes não é necessário raspar ou cortar os cabelos muito curtos para a implantação. Deixando os cabelos maiores, conseguimos camuflar as novas unidades foliculares nos primeiros dias após a cirurgia.

Evolução e Resultados após o transplante

independente da técnica utilizada (transplante convencional com fio curto ou longo, FUE ou técnica híbrida) os cabelos transplantados caem em 10 a 14 dias, porém seus bulbos (raízes) permanecem e, após 3 meses de crescimento atingem a superfície da pele. A partir de então os fios crescem numa velocidade média de 1 cm por mês e ao redor de 6 a 12 meses se tem o resultado final do transplante. Os cabelos transplantados são resistentes à queda e permanecem nos locais transplantados em definitivo.

Após seu crescimento, os cabelos transplantados não necessitam de nenhum cuidado diferenciado e por se tratar do cabelo natural da própria pessoa não ocorrem problemas com rejeição. Os cabelos transplantados podem sofrer qualquer tratamento estético, como, por exemplo, o uso de tinturas, escovas, permanentes e relaxamento sem que haja perda dos mesmos. Após o prazo de 9 a 12 meses, quando temos o resultado final da cirurgia, pode-se fazer uma nova sessão cirúrgica de transplante capilar naqueles pacientes que apresentem quadros de calvície mais extensos.


Quer saber mais?

Ligue pra gente:

31 3274-4487 31 98478-6715

Ou preencha o formulário que entraremos em contato: