Histórico

O transplante capilar foi desenvolvido pelo dermatologista americano, Dr. Norman Orentreich, no ano de 1952. Após suas observações de que na calvície masculina os pacientes, mesmo em idade avançada, permaneciam com cabelos resistentes à queda nas regiões laterais e posterior do couro cabeludo, surgiu a idéia de se transplantar esses mesmos para as regiões calvas . Tão grande não foi a surpresa ao se perceber que esses cabelos quando implantados nas áreas calvas voltavam a crescer e não mais caíam, permanecendo nos locais transplantados indefinidamente. Surgia aí o transplante capilar, o qual apesar de revolucionário para a época resultava em resultados estéticos sofríveis, pois se transplantavam tufos de cabelos que continham até 20 fios de cabelos cada um e, no final o que se tinha era um resultado artificial que ficou conhecido como “cabelos de boneca”. Ao longo dos anos, as técnicas foram se requintando e o tamanho dos enxertos implantados foi diminuindo, até que nos últimos 8 anos temos observado uma verdadeira revolução na área. Chegamos à época do microtransplante capilar, também conhecido como transplante de unidades foliculares, o qual apresenta atualmente resultados estéticos bastante naturais e imperceptíveis.

EVOLUÇÃO DAS TÉCNICAS

1 – Transplante com Punchs

Os punchs são instrumentos de corte tubulares que possibilitam a retirada de rodelas de pele com cabelos da região da nuca.

Inicialmente os transplantes eram realizados com punchs de 4 a 5 mm de diâmetro que continham até 20 fios de cabelos cada um. Essas “rodelas”eram implantadas utilizando-se este mesmo punch para fazer os orifícios na área calva receptora. O resultado obtido por este tipo de técnica é muito artificial, pois contém vários fios de cabelos em um único enxerto. Esse tipo de cirurgia ficou conhecido como “transplante de cabelos de boneca” e é responsável por muito do preconceito que permanece até hoje acerca do transplante capilar.

Com o tempo, progressivamente foram se utilizando punchs de diâmetros menores com 1,5 e 2mm, que contêm cerca de 6 a 12 fios cada um e que também deixavam a desejar esteticamente.

Os cabelos colhidos por punch levam juntamente nestas “rodelas” uma quantidade grande de pele. Como a pele da nuca é em geral mais clara do que a pele da área calva, ocorre um contraste entre as cores da pele da área receptora (mais bronzeada) para a da área doadora (mais clara), de forma que os enxertos transplantados ficam mais visíveis.

Muitas clínicas que ainda realizam o transplante capilar utilizando punchs o veiculam como uma técnica no qual não há cortes e por isto seria mais vantajosa. Na verdade, o que se faz não é uma remoção da área doadora com bisturi como fazemos no transplante de unidades foliculares, mas se utilizam os punchs para fazer múltiplos pequenos cortes circulares distribuídos em toda a área doadora. Esses cortes não necessitam ser suturados e podem ser deixados cicatrizar por si só. O resultado é que se formam múltiplas (centenas!!) de pequenas cicatrizes no couro cabeludo que diminuem em mais de 50% a densidade original de cabelos no lugar. Portanto, após um procedimento deste tipo, esgota-se quase completamente a área doadora, inviabilizando assim outras sessões cirúrgicas. Um outro problema é que esta ferramenta de corte perfura a pele “às cegas”, já que não há como prever a direção dos cabelos abaixo da pele. A conseqüência é que se cortam vários bulbos capilares durante a remoção, e por isso uma grande quantidade dos cabelos implantados não nasce após a cirurgia.
Esta técnica além de ultrapassada é atualmente condenável e já foi abandonada em vários centros de transplante capilar pelo mundo.
Infelizmente até hoje há profissionais realizando este tipo de técnica e propagando-a falsamente como sendo a técnica nova de FUE, na quais os micropunches utlizados sáo de no máximo 0,7 a 1 mm de diâmetro.

2 – Transplante com micro e minienxertos (micro e minigrafts)

Técnica desenvolvida na década de 80 e ainda utilizada por muitos cirurgiões.

Retira-se a área doadora com bisturi de forma similar à que fazemos atualmente com transplante de unidades foliculares, porém a diferença está na forma com que os enxertos são preparados e implantados.

No transplante de unidades foliculares usamos microscópios 3D para dissecção das unidades foliculares de 1 a 4 fios, enquanto que na técnica do micro-mini graft a dissecção dos enxertos é feita com lupas de aumento e às vezes a olho nú. Nessa técnica, são separados alguns micrografts (1-3 fios) para a linha anterior e minigrafts (6-12 fios) para as linhas posteriores.

Por não usar microscópios e se cortar enxertos maiores (contendo mais cabelos), esta técnica é de execução mais fácil pelo cirurgião, o qual necessita de uma equipe com menor quantidade de assistentes (em geral 2 a 3 pessoas) e consegue realizar o procedimento num prazo médio de 4 horas. Em contrapartida, no transplante de unidades foliculares trabalhamos com equipe de 10 pessoas e a duração de todo o procedimento é em média de 6 horas.

Os resultados obtidos por essa técnica são melhores do que com a técnica anterior dos punchs. Porém, os minigrafts de 6 a 12 fios colocados mais posteriormente podem ficar visíveis. Essa visualização mais fácil se dá principalmente naqueles pacientes que têm cabelos grossos e escuros e quando os cabelos estão molhados. Por isto, dependendo do tipo dos cabelos, essa técnica pode propiciar resultados um tanto quanto artificiais. Outro ponto negativo é a não utilização de microscópios para a dissecção dos enxertos. Isto propicia um desperdício maior dos cabelos da faixa doadora, o qual pode chegar a 30%. Com o uso do microscópio 3D conseguimos uma perda inferior a 5% durante o preparo.

3 – Transplante de unidades foliculares

Técnica introduzida a partir de meados dos anos 90 e que revolucionou a Restauração capilar.
Considerada atualmente o “estado da arte” em transplante capilar. É a técnica mais refinada e que nos permite resultados naturais e a criação de linhas frontais muito naturais e estilizadas, ao contrário de técnicas mais antigas.

Nos últimos anos, com maior experiência e avanços da técnica temos conseguido cirurgias cada vez maiores e com maior densidade. Chegamos à era das mega e gigasessões de Técnica Convencional, quais cerca de 2000 a 3000 unidades foliculares , ou seja 4500 a 8500 fios são implantados em uma única sessão com média de 6 horas de duração. Além da técnica convencional, hoje o transplante de unidades foliculares também pode ser executado pela técnica FUE e pela Técnica Híbrida.

4 – FUE (Extração de Unidades Foliculares)

A técnica FUE, sigla em inglês derivada de folicular unit extraction , ou extração de unidades foliculares, é um avanço recente na área de restauração capilar. A maior vantagem em relação à técnica convencional seria a de se evitar uma cicatriz linear causada pela remoção dos folículos na área doadora. Na técnica FUE, as unidades foliculares (UF) são removidas através de punches, que têm geralmente entre 0,75 a 1 mm de diâmetro. Se bem realizada, a FUE permite que os pacientes possam utilizar cabelos bem curtos, sem a aparência de cicatrizes visíveis. Pelo fato de serem removidos apenas os folículos visualizados, uma vantagem adicional é que se evita a remoção de folículos na fase dormente, o que pode acontecer na técnica convencional.

A FUE é mais trabalhosa e demorada do que a técnica convencional. Nela geralmente conseguimos de 2500 a 3200 unidades foliculares em uma cirurgia com duração média de 6 horas. Por conta disto, para casos de alopecias extensas há a necessidade de um número maior de procedimentos.

A princípio, em qualquer caso que haja indicação para transplante capilar com técnica convencional é também passível se ser realizada FUE. Porém, pelas particularidades da técnica, há algumas indicações ideais (veja mais sobre a técnica na seção especifica FUE)

5 – Técnica híbrida

A Técnica Híbrida é uma associação das técnicas FUT e FUE manual. Com ela conseguimos praticamente duplicar a quantidade de folículos em um procedimentos único. São implantadas cerca de 5500 unidades foliculares em um único procedimento.

Sabemos que a técnica convencional isolada permite um rendimento maior de folículos do que a técnica FUE isolada, porém a técnica convencional tem como limitante uma largura máxima que pode ser removida com segurança a fim de se evitar cicatrizes largas no pós operatório. Geralmente evitamos retirada de faixas com largura maior que 1,8 cm na parte posterior(occipital) da area doadora e do que 1 cm nas regiões laterais da mesma. Fazendo assim conseguimos de 2000 a 3000 unidades foliculares . como sabemos que as unidades foliculares têm de 1 a 4 fio/cada, teremos de 4500 a 8500 fios, girando em média 6500 a 7000 fios, o que dá para cobrir uma área de aproximadamante 60- 70 cm2. A duração de todo o procedimento gira em torno de 6 horas.

Um procedimento de FUE megasessão isolado em média conseguimos de 1800-2500 unidades foliculares em 9 horas de procedimento, o que dá para cobrir em média uma área de 50-60 cm2.

Alguns pacientes possuem áreas calvas maiores necessitando de mais foliculos do que uma cirurgia apenas de mega ou gigasessao convencional podem proporcionar. Por outro lado, para tais pacientes duas cirurgias com a técnica convencional podem gerar foliculios em excesso, além do fato de se ter que esperar 9 meses para realização de um procedimento adicional. Neste caso, a associação com a técnica FUE parece racional pois pode proporcionar até 50% a mais de folículos do que a cirurgia convencional isolada em um procedimento único e realizado no mesmo dia.

Com a técnica Hibrida consegumos os mesmos 2000 a 3000 unidades pela técnica convencional mais em torno de 1000 unidades pela tecnica FUE, o que dá um total de 3000 a 4000 unidades foliculares no mesmo ato cirúrgico. Todo o procedimento de técnica hibrida leva portanto cerca de 11 horas, sendo assim realizado: Iniciamos bem cedo com uma cirugia com técnica convencional de mega ou gigasessão, retirando no máximo de comprimento e elasticidade que o couro cabeludo permita um fechamento por sutura adequado e sem tensão, o que em média tem duração de 6 horas. Ao final da mesma, iniciamos um procedimento de FUE com duração média de 5 horas, no qual consegumios cerca de 1000 unidades foliculares adicionais.


Quer saber mais?

Ligue pra gente:

31 3274-4487 31 98478-6715

Ou preencha o formulário que entraremos em contato: