Técnica FUT (convencional)

A Técnica FUT (convencional) , conhecida também pela sigla em ingles FUT (folicular Unit Transplantation ou Strip Sugery) é a técnica mais realizada em nossa clínica e corresponde também ainda à maioria dos casos de transplante em todo o mundo. Conhecida por ser a técnica “com corte”, ao contrario da FUE que “não tem corte” , ela tem seus prós e contras. Como veremos a seguir há hoje variantes na técnica, uma que se usam fios curtos e outra fios longos.

Trata-se de uma técnica que se desenvolveu muito na ultima década, e com os avanços temos conseguido realizar cirurgias cada vez maiores, com maior densidade e naturalidade.

Conceito de unidades Foliculares

Para entender melhor o transplante de unidades foliculares, devemos entender a disposição natural dos cabelos.Ao contrário do que muitos pensam, os cabelos não são distribuídos fio a fio. Eles se distribuem naturalmente nas unidades foliculares, que são unidades contendo de 1 a 4 fios apenas.

Análise por tricoscopia mostrando acima os cabelos naturalmente distribuídos nas unidades foliculares de 1 a 4 fios. Aumento de 20 x
Para que se realize um transplante de unidades foliculares, é imprescindível o uso de microscópios 3D especiais chamados “estereomicroscópios”, os quais possibilitam uma visão em 3 dimensões e uma correta dissecção dessas unidades.

Por se tratarem de unidades muito pequenas e delicadas, o uso destes microscópios se faz necessário pois possibilitam maior cuidado na confecção e redução da perda dos folículos. A área doadora dissecada pelos microscópios 3D rende cerca de 20-30 % mais cabelos do que quando se faz a dissecção com lupas ou a olho nú.

Cicatriz

O receio sobre cicatriz na área doadora é um dos maiores questionamentos quanto à esta técnica, entretanto, com a evolução e o advento da técnica de sutura tricofítica temos conseguido cicatrizes de excelente qualidade e na maioria dos casos visíveis apenas com corte de cabelos bem curtos (cerca de 3mm comprimento, ou equivalente a uso de máquina 2). Sabemos que a cicatrização depende de vários fatores , entre eles fatores individuais e a idade. Pacientes jovens (<25 anos de idade) por produzirem mais colágeno têm cicatrização mais rápida porém com tendência a alargar se comparada a pacientes na faixa etária de 35-40 anos de idade.

Dor no pós operatório

O receio quanto a dor no pós operatório também é minimizado com a infiltração de um anestésico de ação prolongada no final da cirurgia o que prolonga a anestesia por até 24 horas. Então, no primeiro dia pós operatório a maioria absoluta dos pacientes não queixa de qualquer dor. Prescrevemos rotineiramente medicação anti-inflamatória nos 5 dias seguintes, o que faz com que estes primeiros dias sejam muito bem tolerados.

Vale ressaltar que a maioria dos casos de pacientes com relato de dor pós operatória importante foram submetidos à técnicas ultrapassadas de transplante capilar ou tiveram incisões mal executadas e realizadas muito profundamente na área doadora, o que pode ter lesionado algum nervo sensitivo. Tendo-se os cuidados devidos na técnica cirúrgica, associado ao uso das medicações citadas acima, o pós operatório não requer uso de analgésicos potentes em 95% dos casos.

A Técnica FUT (convencional) é ideal para aqueles pacientes que não desejam raspar o cabelos para a cirurgia e que não pretendem raspar os cabelos tão curtos no futuro, sendo muito procurada por mulheres.

Fios curtos x Fios Longos

Há duas variações na Técnica FUT (convencional) , a técnica de fios curtos ou de fios longos.

Na técnica de fios curtos, a área doadora demarcada é preparada cortando-se os cabelos com máquina a um comprimento de 3 a 6 mm. Já na técnica com fios longos, a faixa doadora é retirada com fios no comprimento original.

Independente do comprimento dos fios, vale lembrar que a evolução do resultado após a cirurgia e a mesma em todas as técnicas de transplante capilar. Portanto, os folículos transplantados cairão de 15 a 30 dias após a cirurgia, voltando a nascer após 3 meses . Como os cabelos crescem em média 1 cm/mês, atingimos o resultado final da cirurgia em 6 meses a 1 ano após a realização da mesma. Então, temos que a técnica de fios longos não acelera o resultado, mas permite ao paciente uma previsão do resultado final já ao final da cirurgia no mesmo dia.

Alguns pacientes gostam bastante deste resultado parcial, o que pode ser interessante para aqueles que têm algum evento social na semana seguinte a cirurgia e já gostariam de mostrar algum beneficio. Outros já não gostam da idéia de serem calvos, passar a ter temporariamente sua área repleta de fios e em 15 dias já não os ter novamente. Alegam que fazendo assim, fica evidente para pessoas do convívio perceberem que elas se submeteram a cirurgia.

Em ambas as técnicas, trabalham em nosso equipe simultaneamente 10 profissionais: 2 médicos cirurgiões, 1 médico anestesista , 2 auxilares na implantação, além de 5 auxiliares para preparo das unidades foliculares em microscópio.

Mesmo com fios curtos a Técnica FUT (convencional) é um procedimento demorado e artesanal, durando em média 6 horas. No caso da técnica de fios longos, a implantação dos folículos é ainda mais trabalhosa o que acarreta numa cirurgia com duração em média 50% maior (9 horas) e portanto de maior custo financeiro.

Anestesia

O Procedimento pode ser feito sob anestesia local ou sob anestesia local + sedação. Durante todo o procedimento, independente do tipo de anestesia contamos com o apoio de um médico anestesista que monitora todos os sinais vitais durante e após a cirurgia.
Como todo o procedimento dura em torno de 6 horas, a sedação permite maior conforto e acaba sendo a opção da maioria dos pacientes.

Retirada da Área Doadora

Infiltramos anestesia local na área a ser removida. A incisão é superficial (cerca 4 a 5 mm profundidade) e tem de 28 a 32 cm de comprimento dentro da região de segurança da área doadora a qual corresponde a área que vai de um lado ao outro da cabeça iniciando e findando na região adjacente a extremidade superior das orelhas. Devemos evitar remover à frente das orelhas ou muito baixo na nuca pois cicatrizes nestes locais podem alargar.

O couro cabeludo é um tecido muito tenso, sofrendo ação de diversos músculos principalmente da cabeça e pescoço que o tracionam em direções opostas. É como se fosse uma bola revestida com uma meia. Quando se faz um corte de 1 cm de largura, pela elasticidade do tecido ao redor, este corte se abre num defeito de 2 cm ou mais. De modo similar, o mesmo ocorre no couro cabeludo. Portanto, devido a essa tensão deve-se evitar remoção de faixas largas do couro cabeludo (maiores que 1,8 cm largura), pois propiciam cicatrizes pós-operatórias largas e visíveis. Retirando-se com uma largura de no máximo 1,8cm na parte mediana posterior e no máximo com 1 cm nas laterais, e, procedendo com a técnica de fechamento por sutura tricofítica , o defeito se fecha sem tensão e as cicatrizes em geral são bem finas, camufladas pelos próprios cabelos após a cirurgia e praticamente imperceptíveis em 6 meses.

A sutura tricofítica é uma técnica recente de fechamento de feridas de simples execução e que possibilita que os cabelos possam nascer dentro da cicatriz.
Em geral a cicatriz só é visível para aqueles pacientes que utilizam corte com máquina muito curta, o equivalente a máquina menor que 3 (cerca de 6mm de tamanho).

A retirada de cabelos com esses cuidados preserva a área doadora e eventualmente é possível que se faça até 3 novas futuras sessões cirúrgicas de mega/gigasessões, o que é imprescindível para cobrir calvícies extensas. A quantidade de fios transplantados em cada megasessão de microtransplante capilar pode variar em média de 4500 a 8500 fios (cerca de 2500 a 3500 unidades foliculares de 1 a 4 fios).

Megasessões x Gigasessões

Não existe um consenso sobre o que seria uma mega ou uma gigasessão de transplante capilar e o que temos visto é que esta dúvida é motivo de marketing intenso e agressivo.

De forma geral, sessões acima de 1500 unidades foliculares são chamadas de megasessões e acima de 3000 unidades foliculares são chamadas de gigasessões. A quantidade de folículos que conseguimos em uma cirurgia de transplante capilar depende de alguns fatores, sendo o mais importante a densidade capilar na área doadora. A densidade e o número de fios ou unidades foliculares/cm2, e ela varia muito de pessoa para pessoa. A densidade pode variar de 50 a 120 unidades foliculares /cm2.

O ideal para o transplante capilar são pacientes com densidade acima de 80 unidades foliculares/cm2, sendo contra indicado cirurgia em pacientes com densidades baixas (<50 UF/cm2).

Como sabemos que as unidades foliculares contêm geralmente 1 a 4 fios cada, num transplante folicular com remoção de área doadora de 28 a 32 cm de comprimento total, com 1 cm de largura máxima nas laterais e 1,8 cm de largura máxima nos 10 cm de comprimento da região mediana occipital teremos uma área removida de no mínimo 36 e no máximo 40 cm2.

Sabemos que a Técnica FUT (convencional) isolada permite um rendimento maior de folículos do que a técnica FUE isolada, porém a Técnica FUT (convencional) tem como limitante uma largura máxima que pode ser removida com segurança a fim de se evitar cicatrizes largas no pós operatório. Geralmente evitamos retirada de faixas com largura maior que 1,8 cm na parte posterior(occipital) da área doadora e do que 1 cm nas regiões laterais da mesma. Fazendo assim conseguimos geralmente de 2000 a 3000 unidades foliculares . como sabemos que as unidades foliculares têm de 1 a 4 fio/cada, teremos de 4500 a 8500 fios, girando em média 6500 a 7000 fios, o que dá para cobrir uma área de aproximadamente 60- 70 cm2. A duração de todo o procedimento gira em torno de 6 horas.

Portanto, se o paciente possui uma calvície muito extensa pode ser que se façam necessárias duas ou três sessões para se conseguir os resultados desejados de cobertura total com uma densidade cosmeticamente aceitável. Se os cabelos forem muito finos pode ser que se faça necessária uma segunda sessão para aumentar um pouco mais a densidade. Pacientes com áreas calvas menores em geral são tratados em apenas uma sessão.

Após removida a faixa de pele e cabelos a região é suturada e os pontos são retirados em 12 dias. Em algumas situações podemos usar fios absorvíveis que não necessitam remoção e caem espontaneamente em 1 mês.

Preparo das Unidades Foliculares em microscópio

O transplante de unidades foliculares requer estrutura física e pessoal mais elaborada. Na nossa clínica trabalhamos com equipe composta por 10 pessoas, sendo: médico cirurgião, médico assistente, médico anestesista, 2 auxiliares na ajuda da implantação e mais 5 auxiliares especializadas na confecção das unidades foliculares com os estereomicroscópios.

Os cabelos da área doadora dissecados pelo microscópio quase não carregam pele ao redor consigo, de forma que se implantam e se acoplam perfeitamente à área receptora. Esse detalhe é muito importante para garantir os resultados naturais e faz com que as unidades foliculares implantadas sejam praticamente indistinguíveis dos cabelos remanescentes ao redor

Como é cobrada a cirurgia?

Não cobramos pelo número de fios e sim para fazer sempre o máximo possível em cada cirurgia. Retiramos nos casos de cirurgia maiores no máximo da elasticidade permitida que se constituem em uma faixa de 1 cm de largura nas laterais por 1,8 cm de largura na parte da nuca, tendo de 28 a 32cm de comprimento (dependendo do tamanho da cabeça de cada um). Dentro desta fatia, há habitualmente de 2000 a 3000 unidades foliculares, ou seja 4500 a 8500 fios, dependendo da densidade de cada pessoa. Todos os cabelos removidos serão transplantados.

Achamos esta é uma atitude mais transparente, pois não há como o paciente contar com precisão o número de fios implantados no pós operatório. Frequentemente recebemos pacientes operados em outros serviços e interessados em realizar um segundo procedimento desta vez conosco e que se queixam de o que havia sido acordado na primeira cirurgia não corresponde ao que foi efetivamente implantado, o que é motivo de insatisfação para muitos.

Ao mesmo tempo , o tipo de cabelo faz mais diferença no resultado do que o número absoluto de fios. Por exemplo, 10 mil cabelos finos podem equivaler em termos de resultado a 5000 cabelos grossos e anelados.

Em uma cirurgia de aproximadamente 6 a 7 mil fios conseguimos cobrir uma área calva aproximadamente um pouco maior que uma palma de mão com uma densidade adequada, ou seja 60-70 cm2. Nós preferimos cobrir uma área menor e deixá-la densa do que espalhar em toda a área calva e a pessoa ficar com uma densidade muito pequena e inestética. Dependendo do grau de calvície,precisaríamos de 3 megassessões para cobrir toda a área calva. O intervalo entre elas é de 9 meses. Áreas menores como entradas consegue-se fazer com aproximadamente 4 mil fios.

Muitas vezes conseguimos cobrir toda a área calva com duas sessões – ( isto se fizermos uma entrada mais recuada ). Outras vezes acontece de apenas com uma sessão, o paciente já ficar satisfeito e, apesar de não ter sido coberta toda a área calva, já se tem um resultado melhor do que se era antes.

Por estas variáveis é que uma consulta presencial é necessária para esclarecimento de dúvidas e avaliação das expectativas.

Evolução Pós Cirurgia e Resultados

A evolução é similar em todas as técnicas de transplante capilar. Geralmente as crosticulas que fixam os fios caem em 5 a 7 dias e fios crescem um pouco. A aparência já esta bem apresentável socialmente apos 5 dias.
Após isto, os folículos transplantados cairão de 15 a 30 dias após a cirurgia, voltando a nascer após 3 meses . Como os cabelos crescem em média 1 cm/mês, atingimos o resultado final da cirurgia em 6 meses a 1 ano apos a realização da mesma.

Cuidados Pós Transplante com Técnica FUT (convencional)

Indicamos o uso de medicação antinflamatória e antibiótica nos primeiros 5 dias pós procedimento. Com isto temos um pós operatório confortável e praticamente indolor na maioria absoluta dos pacientes.

Os cabelos devem ser lavados diariamente nos primeiros 15 dias com cuidados especiais. Deve-se evitar esfregar o local transplantado e ducha de pressão forte. A primeira lavagem após 24 horas é realizada em nossa clínica e para aqueles inseguros em realizar a lavagem em casa, disponibilizamos nossa estrutura e pessoal para tal nos primeiros dias.

Incluímos também como cuidado importante a terapia capilar com laser de baixa energia, a qual ajuda muito ao acelerar a cicatrização no pós operatório e faz com que em praticamente 5 dias já não haja qualquer crostícula no local. Para aqueles que moram em Belo Horizonte indicamos o laser diariamente por 5 minutos até retirada de pontos da sutura em 10 dias.

Para aqueles que moram fora da cidade e não tem como fazer o laser, devem saber que não implicará em prejuízo no resultado final, apenas as crosticulas demorar’ao uns 7 -10 dias para cair.

Evitar Atividades físicas vigorosas nos primeiros 15 dias pós procedimento. Caminhada está liberada após 3 dias.

Evitar exposição solar direta nos primeiros 30 dias após a cirurgia. Se desejável, bonés e chapéus folgados podem ser usados já no dia seguinte.
Para aqueles que fazem uso da finasterida não há necessidade de interromper a mesma após a cirurgia.

O uso do minoxidil e outros tratamentos locais devem ser interrompidos nos primeiros 15 dias e reiniciados após este prazo.


Quer saber mais?

Ligue pra gente:

31 3274-4487 31 98478-6715

Ou preencha o formulário que entraremos em contato: